Palavra



I
Busco o poema
Lá onde o mar transborda
E o céu assoma
Ostentando já a lua
Refletida.
No olho da gaivota
O sol se deita
E a palavra nasce
Do silêncio
Assim…
Quase perfeita
Envolta pela areia
E pela espuma
II
Busco o poema
Ou ele é quem me espreita
Em meio à areia brilhante
Liquefeita
Como se fosse um verbo
A imantar-se
A transformar-se
Em som, palavra, grito
Vindo da sombra
Para o atrito
Em seu rumor eterno

(Ludmila saharovsky)



2 comentários

5n3v35 disse...

Belo poema. Muito bom passar por aqui e ler estas maravilhas. Gostei da bicicleta sugere um passeio beira mar.

ELIANE VILELA disse...

OI LILIAN, AMEI O POEMA

VIM AQUI TE CONVIDAR PRA PARTICIPAR DO MEU CONCURSO FOTOGRAFICO DE NATAL

GOSTARIA DE SUA PRESENÇA LA
http://inovartartesanatosemeva.blogspot.com.br/2012/10/concurso-fotografico-magia-do-natal-e.html

BJUS
LIH